A Escola Superior de Saúde Atlântica (ESSATLA) foi criada em 2001 como unidade orgânica da Universidade Atlântica, nela tendo ficado integrada como escola de saúde de nível politécnico. 

Dado tratar-se de uma unidade orgânica da Universidade Atlântica, a administração pertencia à respetiva entidade instituidora, a EIA. — Ensino, Investigação e Administração S.A. a qual tinha sido criada em 1993 por um conjunto de professores universitários, investigadores, instituições financeiras, grupos institucionais, empresas de serviço e de estudos, e a Câmara Municipal de Oeiras, que até 2014 se manteve como a principal acionista. 

Em 2002 têm início dois cursos bietápicos, de orientação técnico-profissional, em Radiologia, e em Análises Clínicas e Saúde Pública. Foram também criados os cursos de licenciatura em Enfermagem (2001), Fisioterapia (2001), Terapia da Fala (2003) e o Curso de Complemento de Formação em Enfermagem (2002). 

Os cursos da Escola Superior de Saúde, procuravam responder às exigências da formação técnico-profissional e ao mesmo tempo dar uma formação humanista aos alunos numa perspetiva integrada com as ciências sociais e do comportamento. Temos como principal foco a formação especializada e criação excelentes profissionais 

Desde o início tiveram forte componente de prática em contexto profissional, através do ensino em contexto clínico o que levou a escola a estabelecer protocolos de colaboração com os hospitais e centros de saúde da região de Lisboa. 

Devido à necessidade de adequação dos cursos à evolução científica e tecnológica das respetivas áreas, os cursos de Terapia da Fala, Radiologia, Análises Clínicas e Saúde Pública vieram a ser descontinuados a partir de 2015, tendo-se iniciado uma nova etapa, de reformulação desses cursos, de acordo com as orientações dadas oportunamente pelas Comissões de Avaliação da A3es. 

Em julho de 2017 é acreditada a nova licenciatura em Osteopatia, que entrou em funcionamento em 2017-2018.