Pós-Graduação em Fisioterapia na Comunidade: Empreendedorismo e Modelos de Intervenção

Pós-Graduação em Fisioterapia na Comunidade: Empreendedorismo e Modelos de Intervenção

Pós-Graduação em Fisioterapia na Comunidade: Empreendedorismo e Modelos de Intervenção

Solicitar Informações



Condições de Acesso

Consulte aqui

user  Coordenação: Carla Leão


opened-email-envelope  fisioterapia.comunidade@essatla.pt


calendar  janeiro de 2021


clock-circular-outline  180 horas


exam  60 ects


calendar (1)   sexta-feira: 16h-20h / sábado: 09h-13h e das 14h-16h/18h


translation  PT


placeholder   Atlântica


O curso de Pós-Graduação em Fisioterapia na Comunidade: Empreendedorismo e Modelos de Intervenção tem como objetivo desenvolver e capacitar os Fisioterapeutas relativamente às necessidades da população/comunidade, por via do conhecimento de perfil demográfico, epidemiológico e serviços e recursos humanos da saúde das regiões de Portugal, considerando os desafios atuais e futuros existentes, no que concerne com as alterações demográficas, das estruturas familiares, do mercado de trabalho e das novas necessidades de uma sociedade em mutação.

Público-alvo:

A Pós-Graduação é destinada a Fisioterapeutas que pretendam desenvolver competências na área da Fisioterapia na Comunidade.

A intervenção do Fisioterapeuta na comunidade, encontra-se, em Portugal, em fase embrionária e apresenta-se como uma área de intervenção em crescendo, constituindo uma janela de oportunidade para o concretizar das competências dos Fisioterapeutas nesta área no que respeita ao ensino e promoção da literacia em saúde, à promoção da saúde, à prevenção, ao tratamento e à reabilitação, necessitando de conhecimentos e ferramentas especificas.
Pretende-se com esta pós-graduação em Fisioterapia na Comunidade, que o Fisioterapeuta adquira competências no que respeita ao enquadramento político-administrativo, procedimentos para a concretização de projetos, modelos de intervenção, gestão de recursos, relações interpessoais e avaliação de necessidades, de modo a dar resposta às necessidades da comunidade, considerando as especificidades demográficas, epidemiológicas e de serviços de saúde. Assim como, desenvolver as competências de concretização de estudos científicos nos quais se alicerça a intervenção e desenvolvimento de projetos.

No quadro atual de desafios crescentes, esta pós-graduação convida Fisioterapeutas e Professores de referência, com formação e experiencia concordante com os objetivos e conteúdos lecionados, garantindo a adequação e atualização dos conteúdos programáticos das diferentes unidades curriculares.

Os ECT’S (European Credits Transfer Sistem) obtidos nesta pós-graduação estão de acordo com as normas do Processo de Bolonha, podendo assim ser futuramente contabilizados em outros cursos.

Objetivo geral

Desenvolver e capacitar os Fisioterapeutas relativamente às necessidades da população/comunidade, por via do conhecimento de perfil demográfico, epidemiológico e serviços e recursos humanos da saúde das regiões de Portugal, considerando os desafios atuais e futuros existentes, no que concerne com as alterações demográficas, das estruturas familiares, do mercado de trabalho e das novas necessidades de uma sociedade em mutação. Enquadrando este processo ao nível político-administrativo nacional, da União Europeia e Mundial, nomeadamente ao nível do enquadramento das determinações da Organização Mundial da Saúde. Tendo por base este conhecimento, capacitar os profissionais para responder adequadamente e de forma informada a estas necessidades, promovendo perfil empreendedor e credenciando-os para a concepção e oferta de serviços, execução de projetos e desenvolvimento de modelos de intervenção de excelência na comunidade, enquadrados em organizações e instituições privadas e públicas ou de iniciativa privada individual, visando a promoção de continua melhoria do estado de saúde e qualidade de vida da população.

Objetivos específicos

1) Desenvolver competências relativas ao conhecimento do cenário demográfico, epidemiológico, de serviços de saúde e recursos humanos da saúde em Portugal ao nível regional de forma a desenvolver estratégias de avaliação para identificar as necessidades da população.

2) Desenvolver competências relativas ao conhecimento da política e estrutura organizativa do sistema de saúde em Portugal, no qual o Serviço Nacional de Saúde é a base, e os seus objetivos estratégicos. Assim como, o seu enquadramento ao nível da União Europeia e mundial, nomeadamente as determinações da OMS, de forma a desenvolver estratégias de intervenção enquadradas nos objetivos e de acordo com as metodologias exigidas no contexto político-administrativo.

3) Desenvolver competências relativas à gestão económica e de recursos, designadamente de recursos humanos de forma a desenvolver projetos sustentáveis

4) Desenvolver competências de empreendedorismo, comunicação, exposição e relação interpessoal e com as organizações, de forma a facilitar o contacto com as organizações, instituições e população envolvidas nos processos e projetos de intervenção comunitária

5) Desenvolver competências de avaliação, construção e implementação de projetos comunitários, de acordo com as determinações existentes nos vários contextos possíveis, nomeadamente de acordo com as conjunturas e oportunidades de financiamento ao nível nacional e da União Europeia.

6) Desenvolver competências de implementação de modelos organizativos e de intervenção, concordantes com as necessidades e oportunidades das unidades de saúde enquadradas no sistema de saúde nacional e especificamente no Serviço Nacional de Saúde, com intervenção comunitária, como sejam: Centros de Saúde e Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados

7) Desenvolver competências de avaliação, de construção e implementação de projetos ao nível local, no âmbito dos órgãos das autarquias locais, como sejam as Juntas de Freguesia

8) Desenvolver competências de avaliação, de construção e implementação de projetos no âmbito de creches, jardins de infância e escolas dos diferentes ciclos de estudos.

9) Desenvolver competências de avaliação, de construção e implementação de projetos no âmbito de organizações associativas, organizações empresariais, empresas e projetos autónomos de intervenção comunitária.

10) Desenvolver competências de adopção de uma prática baseada na evidência, proporcionando investigação centrada na avaliação, medição e intervenção.

 

Unidades Curriculares

 

REGENTESDOCENTES
 

Saúde e sociedade

 

Carla Leão 

Carla Leão

Política e sistema de saúde

 

Carla LeãoCarla leão
Empreendedorismo e comunicaçãoCristina de SousaCristina de Sousa
Gestão de serviços de saúdeLia Jacobsohn Lia Jacobsohn
Projetos de intervenção e formação 

Cristina de Sousa

 

Cristina de Sousa

Investigação: metodologia e operacionalizaçãoLara Costa e SilvaLara Costa e Silva
Modelos de intervenção no sistema de saúdeClaudia Maia Moura 

Claudia Maia Moura

Claudia Costa

Antonio Coelho

Modelos de intervenção em saúde escolarCarla LeãoSilvia Conde
Modelos de intervenção nas autarquias locaisCarla LeãoSilvia Conde
Modelos de intervenção nas organizaçõesLara Costa e SilvaLara Costa e Silva
Empreendedorismo em pequenas empresas e start upsClaudia Costa Claudia Costa
Modelos de intervenção em condições específicasClaudia Maia MouraCarla Leão

Claudia Maia Moura

Lara Costa e Silva

Tens dúvidas ou precisas de mais informações?