Alunos Outgoing

Programa de Erasmus para os alunos da Escola Superior de Saúde Atlântica:

Todos os estudantes da Escola Superior de Saúde Atlântica podem participar no programa Erasmus desde que satisfaçam os seguintes critérios de elegibilidade:
  • O estudantes deve estar inscrito, pelo menos, no segundo ano de qualquer curso de primeiro ciclo de estudos da Escola Superior de Saúde Atlântica. Para a mobilidade de estágios profissionais Erasmus esta regra não se aplica.
  • O estudante deve ser nacional de um Estado membro da União Europeia ou de outro país elegível para participar no PROALV (em caso de dúvida, por favor, contacte o Gabinete Erasmus).
  • Caso não seja um estudante nacional, o estudante deve ser oficialmente reconhecido por Portugal como refugiado, apátrida ou residente permanente.
  • Estudantes com residência temporária em Portugal não são elegíveis para participar no Programa Erasmus.

 

Critérios de selecção

No caso do número de candidaturas ser superior ao número de bolsas de mobilidade disponíveis, os critérios de selecção a aplicar serão os seguintes:

  • Mérito académico (média de curso até ao momento da candidatura).
  • O ano em que o estudante se encontra (privilegiam-se os alunos de anos mais avançados).
  • Motivação para a participação no programa (revelada pelo empenho na procura de informação sobre a instituição parceira e na proposta de plano de estudos).

 

Outros critérios serão tidos em conta:
  • Equilíbrio do número de bolsas atribuídas a estudantes dos cursos da Escola Superior de Saúde da Atlântica.
  • Prioridade aos estudantes com bolsa de Acção Social do ensino superior.
  • As candidaturas para um ano lectivo completo têm prioridade sobre as candidaturas para um semestre lectivo.
  • As candidaturas para o 1º semestre têm prioridade sobre as candidaturas para o 2º semestre.
  • Nível de conhecimento da língua de leccionação na universidade de acolhimento.
Estudantes candidatos à mobilidade para a realização de estudos:
  • Procurar parceria, dentro das disponíveis para a área científica, que reúne as preferências do estudante, analisando as unidades curriculares que gostaria de frequentar nessa instituição (consultar a Lista de instituições parceiras da Escola Superior de Saúde Atlântica).
  • Contactar o Gabinete Erasmus para esclarecer qualquer dúvida relativa ao programa e para concretizar a sua candidatura, através do preenchimento de formulário Outgoing Student Application.
  • Caso o estudante cumpra os critérios de elegibilidade e após o processo de selecção de candidaturas, o Gabinete Erasmus comunicará ao estudante se lhe foi atribuída (ou não) uma Bolsa Comunitária.
  • Se o número de bolsas disponíveis no corrente ano lectivo for inferior ao número de candidatos, o estudante pode ainda realizar a mobilidade Erasmus no quadro da “bolsa zero” comunitária. Neste caso, a mobilidade não será financiada, no entanto, o estudante beneficia de todas as outras condições de mobilidade Erasmus.

 

Realização de mobilidade para estudos:
  • Antes de iniciar o período de mobilidade, os estudantes seleccionados celebram um programa de estudos (Learning Agreement) a ser cumprido no estrangeiro, em que ficam especificadas as unidades curriculares que o estudante deverá realizar na universidade de acolhimento, assim como as unidades curriculares a que obterá equivalência na Escola Superior de Saúde Atlântica. Este programa deve ser acordado e assinado pela Atlântica, pela universidade de acolhimento e pelo estudante.
  • No final do período de estudos, o estudante recebe da universidade de acolhimento um certificado de frequência e aproveitamento, que permitirá o reconhecimento académico pela Escola Superior de Saúde Atlântica do período de estudos.

 

Estudantes candidatos à mobilidade para a realização de estágios profissionais:
  • Quando o objectivo da mobilidade for a realização de estágios profissionais, a entidade de acolhimento é uma “Empresa”. A “Empresa de Acolhimento” para um estágio profissional Erasmus deverá permitir ao aluno adquirir experiência de trabalho.
  • “Empresas” elegíveis para estágios profissionais: Qualquer empresa do sector público ou privado que exerça uma actividade económica, independentemente da dimensão, do estatuto jurídico ou do sector económico em que opere, incluindo a economia social.
  • As Instituições de Ensino Superior (IES) estão incluídas nesta definição.

 

Realização de mobilidade para estágio profissional:
  • Antes de iniciar o período de mobilidade, os estudantes seleccionados celebram um Programa de Estágio Profissional a ser cumprido no estrangeiro, em que ficam especificadas as actividades de estágio que o aluno deverá realizar na “empresa”. Este programa deve ser acordado e assinado pela Escola Superior de Saúde Atlântica, pela entidade de acolhimento e pelo estudante, antes do início da mobilidade.
  • No final do período de estágio profissional, o estudante recebe da empresa de acolhimento um certificado de frequência e aproveitamento, que permitirá o reconhecimento académico pela Escola Superior de Saúde Atlântica do período de estágio profissional.

 

Documentação
  • A participação no programa Erasmus obriga os estudantes a munir-se dum conjunto de documentos que facilitam o seu período de estudos noutra instituição, ainda para mais noutro país.
  • Os estudantes candidatos ao programa devem, antes de mais, preencher o boletim de candidatura Outgoing Student Application.
  • Os estudantes seleccionados receberão do Gabinete Erasmus uma Declaração  que confirma a aceitação num período de estudos no estrangeiro.
  • Os alunos deverão providenciar o cartão europeu de saúde.
  • O estudante deverá ter devidamente assinado o Contrato Erasmus + e o seu Learning Agreement.
  • Após a sua chegada à universidade de acolhimento, os estudantes deverão fornecer ao Gabinete Erasmus os seus novos contactos: endereço, telefone e email.
  • No seu regresso os estudantes devem trazer documentos emitidos pela Universidade/Empresa anfitriã que confirmem a estadia na instituição, assim como a frequência e aproveitamento às unidades curriculares constantes do Learning Agreement ou, no caso de estágio, um certificado de frequência e aproveitamento.

Para mais informações contacte o Gabinete de Erasmus

Duração e mobilidade de Estudantes e Graduados
  • Os períodos de mobilidade para estudos têm a duração mínima de 3 meses e máxima de 12 meses.
  • Os períodos de mobilidade para estágio e estágio para recém-graduados têm a duração mínima de 2 meses e máxima de 12 meses.
  • O período máximo, por ciclo de estudos, em atividades de mobilidade Erasmus+ (estudos, estágio e estágio para recém-graduados), são de 12 meses.

 

Prazos

Cada ano lectivo o Gabinete Erasmus processa as candidaturas dos estudantes que querem participar no programa no ano lectivo seguinte.

Em geral, encontram-se abertas candidaturas até ao final de Março. Porém, deverá haver um conjunto de contactos prévios à candidatura entre os estudante, a coordenação da licenciatura, o Gabinete Erasmus da Escola Superior de Saúde Atlântica e o da universidade de acolhimento. Por esta razão aconselhamos o estudante a iniciar estes contactos antes de se aproximar o final do prazo. Para os estudantes interessados em efectuar o seu período de estudos/estágio numa universidade com a qual não temos protocolo para a sua área de licenciatura, aconselhamos que iniciem o processo de candidatura o mais cedo possível.

 

No âmbito do Programa Erasmus+, a ESSATLA – Escola Superior de Saúde Atlântica garante a igualdade de acesso e de oportunidades a todos os candidatos.

O Apoio ao Estudante com Necessidades Educativas Especiais visa a inclusão destes estudantes no contexto académico, contribuir para um ensino de qualidade, bem como a identificação de barreiras físicas, de comunicação e informação que obstem à integração social e escolar destes estudantes. principal objectivo da unidade é que os membros da comunidade universitária, estudantes, docentes ou pessoal administrativo e de serviços que apresentem qualquer tipo de diversidade funcional ou necessidades educativas especiais, possam usufruir das mesmas oportunidades que os restantes para o desenvolvimento dos seus estudos universitários, ou para o desempenho das suas funções, sob o prisma da igualdade de oportunidades.

Os candidatos com Necessidades Especiais que pretendam participar no Programa Erasmus+, independentemente, de poderem  vir a receber bolsa Erasmus, têm o direito de receber uma bolsa  suplementar Erasmus, cujo valor varia segundo o grau de incapacidade e das despesas comprovadas. Os candidatos devem informar o Gabinete de Mobilidade / Relações Internacionais / Erasmus da sua Escola de que têm uma necessidades especial e que pretendem candidatar-se a uma mobilidade Erasmus e à respetiva bolsa Suplementar. Esta é uma bolsa especifica com uma candidatura própria.

O Gabinete ERASMUS / Relações Internacionais irá apoiar todo o processo de candidatura às bolsas suplementares e informar a Instituição de acolhimento que foi selecionado um participante com necessidades educativas especiais, para confirmar que a instituição de acolhimento tem condições para  o receber. Esta troca de correspondência (e-mail) deverá fazer parte integrante da sua candidatura.

ERASMUS Office contacts:

gaberasmus@uatlantica.pt   /   internationaloffice@uatlantica.pt  – +351 214398220/22

Parceiros

A Escola Superior de Saúde Atlântica tem diversos acordos bilaterais com instituições estrangeiras dentro das áreas de estudo oferecidas:

Enfermagem
Fisioterapia
Osteopatia

Para os conhecer clique aqui

Caso o estudante esteja interessado em frequentar uma universidade com a qual a Atlântica  não tenha contacto, este deverá expor a situação ao Gabinete Erasmus para que essa possibilidade seja analisada.

 

Bolsas

A União Europeia apoia os estudantes Erasmus com uma bolsa que visa cobrir os custos adicionais da deslocação, mas não os custos totais da estadia.

O montante da bolsa depende dos países de destino e da duração do período de estudos, sendo fixada em cada ano lectivo.

Terei que continuar a pagar as propinas na Escola Superior de Saúde Atlântica?

Para todos os efeitos os estudantes Erasmus continuam matriculados na sua instituição de origem, inclusive para o pagamento de propinas.

Terei de pagar as propinas da universidade para onde vou?

Os estudantes Erasmus estão isentos de propinas na universidade de acolhimento.

Recebo equivalência a todas as unidades curriculares que estaria a frequentar caso não partisse para a universidade de acolhimento?

As unidades curriculares que o estudante deverá frequentar e as equivalências que receberá ficarão acordadas no Learning Agreement antes da sua partida. O número de unidades curriculares a que recebe equivalência é, portanto, um assunto que deverá acordar com o coordenador da licenciatura.

As notas que obtiver na universidade de acolhimento serão utilizadas para o cálculo da minha média final de curso?

Os sistemas de avaliação diferem de país para país. Por isso, a Escola Superior de Saúde Atlântica não atribui directamente as notas obtidas noutro país às unidades curriculares equivalentes, algumas nem são classificações de zero a vinte. As suas notas serão convertidas com base em informação adicional quanto ao sistema de avaliação em que foram obtidas. Terá sempre de obter aprovação nas unidades curriculares da universidade de acolhimento para ter equivalência às da Escola Superior de Saúde Atlântica.

Existem outros apoios financeiros para além da bolsa?

Os estudantes elegíveis para apoio social também são elegíveis para apoios financeiros complementares da União europeia. Se for essa a sua situação aconselhamo-lo a procurar mais informações junto do Gabinete Erasmus. Caso contrário, os únicos apoios disponíveis são mesmo os da bolsa Erasmus.